Figuras históricas do primeiro ITB de Barueri participam de exposição

A unidade Fieb – ITB Brasílio Flores de Azevedo, no Jardim Belval é uma das grandes homenageadas na exposição “Achados sobre a Cidade”, em exibição no Museu Municipal de Barueri. A abertura da mostra ocorreu na noite de terça-feira (dia 6) e trouxe como convidadas figuras que fizeram parte da história da escola, como o arquiteto Edison Masakatu Goto, profissional responsável por desenvolver o projeto do prédio. Também esteve presente Getúlio Fogaça de Azevedo, filho do cartorário homenageado com o nome da unidade.

Getúlio contou que seu pai foi uma pessoa muito ligada à comunidade local e teve papel fundamental na formação educacional de muitas crianças da Aldeia de Barueri em meados da década de 70. “Meu pai não era político, era cartorário, ficou com o Cartório de Registro Civil e Tabelionato da Aldeia de Barueri e ficou até 1979 quando faleceu. Ele não se intimidou com a falta de infraestrutura urbana no bairro, mas achou muito ruim não ter uma escola para as crianças. Ele tinha alguns terrenos e construiu uma sala de aula e a professora foi a minha irmã”, relatou sobre parte da trajetória de Brasílio Flores de Azevedo.

Edison Masakatu Goto recordou que quando iniciou o projeto do primeiro ITB de Barueri, tinha como desafio oferecer uma obra com custos mais baixos, porém, eficaz. “Aprendi muito com esse projeto, veio como um grande aprendizado de obra pública. É preciso pensar em quem vai utilizar esse espaço, qual vai ser o conjunto de pessoas e como será a escola para eles. O que interessa também é entender que a cidade é construída por várias pessoas de várias épocas e pensar nisso é um desafio muito grande. Mas hoje Barueri é uma referência”, acrescentou.

Foi oportunidade também para que um grupo de alunos da unidade do Jardim Belval, presentes no evento, contemplassem peças que marcam a história do município, entre eles também estavam ex-estudantes como Pedro Domingues da Silva, considerado o primeiro aluno do ITB. Estão expostos rascunhos, esboços de estudos originais do prédio e plantas do Instituto Técnico, além de jornais da época relatando a inauguração da escola. Ela é parte das comemorações de 69 anos da cidade e vai até 1º de abril, de terça a sexta, das 9 às 18h, aos sábados e domingos, das 9h às 14h.

Recomendado para você

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: